Ações do Projeto “As ervas do sítio: cultura popular, saúde e práticas de cura no oeste catarinense”

As ervas do sítio: cultura popular, saúde e práticas de cura no oeste catarinense é uma iniciativa que visou identificar, mapear e inventariar o conhecimento de mestres e mestras, detentores de saberes, que praticam a cura por meio da utilização das ervas medicinais, atuando como mediadores e agentes da cultura popular no oeste catarinense.


Em 2014, a Associação Cultural Mais Cultura de Pinhalzinho, apresentou os resultados da iniciativa ao Edital Prêmio Ponto de Memória, viabilizado pelo Instituto Brasileiro de Museus – Ibram/Minc. A proposta selecionada foi coordenada pelos agentes culturais que fazem parte da Associação Cultural Mais Cultura em parceria com os mestres de sabedoria popular que atendem diariamente pessoas da comunidade e dos municípios circunvizinhos com benzimentos e indicações de uso das ervas nos processos de cura e prevenção de doenças.


Ao longo da realização do projeto, você encontrará informações sobre: As memórias das práticas de cura e cuidados com a saúde no oeste catarinense; A prática do benzimento exercida pelos benzedores e benzedeiras, envolvendo rezas, evocação de santos e rituais que incluem diferentes modos, fazeres e dizeres; As plantas medicinais na história: cultivo, processamento, preparos, conservação e propriedades das plantas; Palavras de fé, espiritualidade e práticas de saúde e qualidade de vida recomendadas pelos mestres de sabedoria popular.



Ações e resultados dessa iniciativa


Inicialmente, a pesquisa compreendeu os municípios de Nova Erechim, Chapecó, Pinhalzinho e Campo Erê. A primeira etapa do processo, foi o mapeamento dos detentores/as dos saberes, que atuam nas comunidades e são reconhecidos como curandeiros, curandeiras, benzedores e benzedeiras. Um dos principais critérios de seleção dos participantes foi sua prática de cultivar plantas medicinais e preparar chás, essências, pomadas e outras fórmulas caseiras, que tem como princípio ativo plantas medicinais e agem no tratamento e prevenção de doenças.

Durante a pesquisa, contamos com a colaboração de lideranças comunitárias, agentes e instituições culturais de cada município, que nos indicaram possíveis entrevistados. Após o trabalho de campo, a sistematização do material coletado resultou em:


  1. Documentário apresentando registros do conhecimento tradicional de mestras de sabedoria popular;

  2. Cartilha, contendo informações relacionadas às práticas de benzimentos, cultivo e usos de ervas;

  3. Oficinas de socialização do projeto, formação de multiplicadores dos conhecimentos tradicionais inventariados, direcionadas a estudantes, participantes de grupos comunitários e instituições socioculturais dos municípios de Pinhalzinho, Nova Erechim, Campo Erê, Chapecó, Saudades e Águas Frias;


As oficinas aconteceram na segunda quinzena do mês de novembro e seguem na primeira quinzena de dezembro de 2016 instigando reflexões, suscitando novas práticas, escolhas e condutas de vida, permitindo à comunidade participante se reconhecer e rememorar conhecimentos tradicionais relacionados as plantas medicinais e as práticas de cura.


Seguem imagens das oficinas realizadas em Parceria com EEB José Marcolino Eckert de Pinhalzinho, Secretaria de Assistência Social de Saudades e Águas Frias.

#ervasdositio

Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
Nenhum tag.
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square